PROVOCAÇÕES EPISTEMOLÓGICAS, TEÓRICAS E METODOLÓGICAS A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS EMPÍRICAS DE ORGANIZAÇÕES ALTERNATIVAS E CONTRA HEGEMÔNICAS

  • Pedro de Almeida Costa Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração http://orcid.org/0000-0002-2059-2555
  • Rene E. Seifert Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Fábio Bittencourt Meira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • João Hocayen-da-Silva Universidade Estadual do Centro-Oeste

Resumo

Texto de apresentação dos editores especiais sobre o Dossiê temático "Organizações Alternativas e Contra Hegemônicas".

Biografia do Autor

Pedro de Almeida Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração
Doutorado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2008). É professor adjunto do Curso de Administração Pública e Social da Escola de Administração (EA) da UFRGS. Trabalha com projetos de pesquisa e extensão na área de gestão social e de organizações alternativas, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul, do CNPq, do Programa PROEXT do MEC e da Pró-Reitoria de pesquisa da UFRGS. Membro do Núcleo de Estudos em Gestão Alternativa (NEGA) da EA/UFRGS, tem seu interesse de pesquisa na área de Administração Pública e Social, em especial no estudo das formas de organização alternativas e/ou contra hegemônicas.

Referências

BARCELOS, R. M. R.; DELLAGNELO, E. E. L. A teoria política do discurso como abordagem para o estudo das organizações de resistência: reflexões sobre o caso circuito fora do eixo. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 21, 70, p.405-424, 2014.

BARCELOS, R. M. R.; DELLAGNELO, E. E. L. Novas formas organizacionais: do dominante às ausências. Revista do Pensamento Contemporâneo em Administração, Rio de Janeiro: V.7, n.1, jan/mar 2013. p. 1-16.

BARLATIER, P. J.; CHAUVET, V.; MORALES, J. Management alternatif. Revue française de gestion. Paris: n.264, p. 11-22, 2017.

DELLAGNELO, E. E. L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Novas formar organizacionais: onde se encontram as evidências empíricas de ruptura om o modelo burocrático de organização? Organizações & Sociedade, Salvador: V.7, n.19, set/dez, p. 19-33, 2000.

FARIA, J. H. Gestão Participativa: relações de poder e de trabalho nas organizações. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

GUERREIRO RAMOS, A. A Nova Ciência das Organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. Rio de Janeiro: FGV, 1989.

JEANES, E. PHILLIPS, M., MOORE, N.(2015)What are the alternatives? Organizing for a socially and ecologically sustainable world. Ephemera. Disponível em: . Acesso: 13/06/2018.

MEIRA, F. B. Liminal organization: organizational emergence within solidary economy in Brazil. Organization, v.21, n.5: 713-729, 2014.

MIR, R.; MIR, A. The colony writes back: Organization as an early champion of non-Western organizational theory. Organization, v. 20, n. 1, p. 91-101, 2012.

MISOCZKY, M. C. Rememorando a Organização e Práxis dos Centros Populares de Cultura. In: EnEO, 2012, Curitiba ... Anais, VII EnEO, 2012.

MISOCZKY, M. C.; VECCHIO, R. Experimentando pensar: da fábula de Barnard à aventura de outras possibilidades de organizar. Cadernos EBAPE.BR (FGV), Rio de Janeiro, v. IV, n.1, p. 1-14, 2006.

PARKER, M.; CHENEY, G.; FOURNIER, V.; LAND. C. The Routledge companion to alternative organization. London: Routledge, 2014.

PARKER, M.; FOURNIER, V.; REEDY, P. The dictionary of alternatives: utopianism and organization. London: Zed Books, 2007.

VIZEU, F.; SEIFERT, R. E.; HOCAYEN-DA-SILVA, A. J. Non capitalist organizations in latin America: lessons from the Brazilian Faxinal grassroot community. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro: v.13, n.2, apr/jun., p. 369-389, 2015.

ZILIO, L. B.; BARCELOS, R. M. B.; DELLAGNELLO. E. H. L.; ASSMANN, S. J. Organizações contra hegemônicas e possibilidade de redescoberta da política na modernidade: uma contribuição a partir do pensamento de Hannah Arendt. Cadernos EBAPE.BR, v.10, n.4, p.789-803, 2012.
Publicado
2018-07-24
Seção
Dossiê "Organizações Alternativas e Contra Hegemônicas"