Fatores associados à corrupção municipal em transferências de recursos da União

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Francisco de Assis Oliveira Campos
Ricardo Soares Brito

Resumo




O presente artigo avalia a probabilidade de ocorrência de corrupção municipal a partir de modelos de contagem, tendo como variáveis de interesse os achados irregulares de fiscalização considerados médios e graves, extraídos de 1600 relatórios da Controladoria-Geral da União-CGU referentes aos municípios brasileiros. Foram estimadas e testadas as sensibilidades destas irregularidades ao volume de recursos fiscalizados do município, ao seu estágio de desenvolvimento, à atuação do controle social, a sua caracterização demográfica, ao efeito contágio de um município limítrofe corrupto, ao caso de segundo mandato do prefeito e ao seu partido político. Os resultados mostraram que as irregularidades tendem a aumentar nos municípios com maiores volumes de recursos recebidos, quando o controle social tem fraca atuação, quando o mesmo possui baixo desenvolvimento e alta densidade demográfica, e são vizinhos de municípios com problemas de corrupção. Dezesseis irregularidades médias e seis graves são encontradas a cada R$ 100 milhões de recursos recebidos por um município.




##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CAMPOS, F. DE A. O.; CASTELAR, I.; BRITO, R. S. Fatores associados à corrupção municipal em transferências de recursos da União. Nova Economia, v. 28, n. 3, 21 fev. 2017.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Francisco de Assis Oliveira Campos, UFC/CECGU/CE

Doutor em economia pelo CAEN/UFC. Professor da UFC/CE (2013/2015). Analista de Finanças e Controle da CGU/CE.

Ivan Castelar, CAEN/UFC

Professor do CAEN/UFC.

Ricardo Soares Brito, CAEN/UFC

Professor do CAEN/UFC.