Aposentadoria e a transição para o trabalho por conta própria no Brasil metropolitano

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

André Gal Mountian
Maria Dolores Montoya Diaz

Resumo




Este artigo analisa a transição do trabalho assalariado, formal ou informal, para o trabalho por conta própria no Brasil metropolitano, sobretudo, o papel da aposentadoria nesse processo. É importante compreender as transições que ocorrem no final da carreira laboral, particularmente, a escolha pelo trabalho por conta própria, que tem potenciais impactos sobre o bem-estar individual. Os dados utilizados são da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), entre os anos de 2002 e 2007. Utilizando a metodologia de pseudopainel, duas principais evidências foram encontradas. Em primeiro lugar, quanto maior a relevância da renda de aposentadoria em relação à renda do trabalho assalariado, menor será a chance de transição. Esse resultado pode indicar que os trabalhadores mais velhos que dependem da aposentadoria para sua sobrevivência possuem uma elevada aversão aos riscos envolvidos no trabalho autônomo. Adicionalmente, trabalhadores informais têm maior chance de transição para conta própria do que os trabalhadores com carteira assinada.




##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MOUNTIAN, A. G.; DIAZ, M. D. M. Aposentadoria e a transição para o trabalho por conta própria no Brasil metropolitano. Nova Economia, v. 28, n. 3, 6 abr. 2017.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

André Gal Mountian, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP)

Professor do Departamento de Economia na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Doutorado em Economia do Desenvolvimento na Universidade de São Paulo

Maria Dolores Montoya Diaz, FEA/USP - A autora agradece o suporte financeiro da Bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPq (Processo Nº 304594/2016-4 ).

Professora da Faculdade de Economia e Administração da FEA/USP